terça-feira, 10 de maio de 2016

CAIU O IMPÉRIO DE ROUBO DE ANDRÉ PuTanella E EDSON CAPIROTO (GIROTO)!

GRAÇAS A DEUS!
CAIIIIIIIIIUUUUUUUU!!!!
CAIIIIUUUU O IMPÉRIO DE ROUBO DO
ANDRÉ PUTANELLA E EDSON CAPIROTO!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Justiça sendo feita! A Polícia Federal de Mato Grosso do Sul derrubou o império cretino, maldito, debochador de ANDRÉ PUTANELLA (Andrea Puccinelli) e seu parceiro em crimes Edson Capiroto (Giroto). Os maiores ladrões da História de Mato Grosso do Sul! Ambos do partido leninista PMDBesta. 


SÓ SE OUVE SONS DE SIRENES DE CARROS DA POLÍCIA FEDERAL EM CAMPO GRANDE!

É muita história para contar para vocês. Para quem não é do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli foi deputado estadual por Fátima do Sul, deputado Federal, depois eleito e reeleito prefeito da capital Campo Grande, eleito e reeleito governador do Estado de Mato Grosso do Sul. 



Ele virou o barão da política no Estado. Desenvolvimentista, pero no mucho, sua marca registrada era sair para fiscalizar escolas, postos de saúde e obras públicas a bordo do seu FIAT Uno Mille Way vermelho para fingir-se de humilde e justo. Sempre muito debochador perante as outras pessoas, ele embora ajudou o estado a se industrializar, mas isso sempre custou muito dos empresários. E as obras públicas, grande maioria delas, de péssima qualidade, resultaram em muitos danos à população e na tomada de Ação da Polícia Federal que lançou a OPERAÇÃO LAMA ASFÁLTICA que foi origem da OPERAÇÃO FAZENDAS DE LAMA. Um esquema mega-milionário de pilhagem das rendas dos habitantes de Mato Grosso do Sul através de fraudes de licitações, contratações sem licitações de empresa de construção de amigo dele, o que pode ter gerado um rombo de mais de 240 milhões de 2.4 bilhões de reais, sendo 95 milhões já comprovados pela polícia federal.

Apartamentos, Manções, Dois Aviões Executivos a Jato, FAZENDAS GIGANTESCAS, entre outros bens sem origem de renda, sendo parte dessa roubalheira fruto da licitação para a construção do Aquário do Pantanal em Campo Grande, uma obra INÚTIL enquanto hospitais estão caindo aos pedaços, com contaminações mortíferas e a capital Campo Grande com o Aeroporto Internacional sem ampliação porque ninguém fez projeto... PORQUE O PROJETO DENUNCIARIAM O ESQUEMA DE HIPERFATURAMENTO. SEM DINHEIRO PARA ROUBAR, PUCCINELLI EMBARGOU A OBRA DE AMPLIAÇÃO DO AEROPORTO CUJO ORÇAMENTO ESTAVA RESERVADO PELA INFRAERO.

Como todo PARANAENSE FILHO-DA-PUTA, Andrea Puccinelli veio recém-nascido da Itália para o Brasil e depois de formado, deixou o Paraná para o Mato Grosso do Sul porque tinha certeza de que o M.S. é terra fácil para obter muita grana enganando pessoas inocentes desde o interior até a Capital. Mas como todo "gringo" (italiano), ele sai da Itália, mas mesmo recém-nascido ele não deixa a Máfia! O desgraçado veio ao Mato Grosso do Sul para atuar como médico sem escrúpulos na cidade de Fátima do Sul onde se lançou político e foi eleito deputado estadual e daí o trampulim para chegar à Brasília e construir sua estrutura de poder para se tornar o dono de Mato Grosso do Sul e o acobertador dos crimes de lesa-estado de Zeka Ran$o do PT... inclusive o desaparecimento de juiz. Tudo com as bênçãos do irmão (Fábio Trad) do seu afilhado político eleito e reeleito prefeito de Campo Grande Nelson Trad Fiho, mais conhecido como Nelsinho Trad ou PREFEITÉTCHHH... O PREFEITO DO SÉTCHHHHI... Tudo que ele lançava tinha que ser em número "sétchhhi." 

Nelsinho foi sabotado por Puccinelli para favorecer Delcídio na campanha para prefeito. Como a população de Campo Grande não tolera o PT, então Puccinelli por não ter apoiado Delcídio com mais descaramento, perdeu junto a chance (RECOMPENSA DE DILMÔNIA) de ser empossado como o NOVO MINISTRO DA AGRICULTURA. 

Sem Delcídio, o jeito foi pôr o PsicoPata do PP Alcides Bernal como CAVALO DE TRÓIA DE DILMA E LULA PARA *TRAVAR O *PROGRESSO DA CIDADE (TRANCA-RUAS?) (ISSO É *PROGRESSISMO) E PILHAR OS COFRES DE CAMPO GRANDE. Resultado? Cidade esburacada, serviços precários, ROUBALHEIRA, envolvimento com Maranhão e Doleiro Fayed e a perda de uma mega fábrica de tratores da King Long em Campo Grande. Afinal, sul-matogrossense do interior quer ser prefeito de Campo Grande para roubar dos sul-matogrossenses e ainda achando que será eleito deputado federal ou senador para roubar mais ainda dos cofres federais e render os políticos regionais como escravos submissos.

PUTANELLA E O CORREDOR DE AUSHWITZ
DE CAMPO GRANDE

(A MÁFIA LUCRATIVA DA SOCIEDADE BISCATE DE CAMPO GRANDE DA ARMADILHA DA EUGENIA NÃO AVISADA PARA MATAR PESSOAS COM CÂNCER)




Operação Lama Asfáltica aponta desvio de R$ 44 milhões e rede para “limpar” dinheiro
Equipe da PF cumpriu mandado de busca no apartamento de Puccinelli. (Foto: Marcos Ermínio) 

Do portal Campo Grande News.

A operação Lama Asfáltica, cuja segunda fase foi realizada nesta terça-feira (dia 10), identificou R$ 44 milhões em desvio de recurso público e que foi formada uma rede de “laranjas”, composta por familiares e terceiros, para lavagem do dinheiro de origem ilícita. Os valores foram transformados principalmente em fazendas, que totalizam 67 mil hectares espalhados por Mato Grosso do Sul.
Segundo Mazzotti, segunda etapa foi focada no crime de lavagem de dinheiro. (Foto: Fernando Antunes)Segundo Mazzotti, segunda etapa foi focada no crime de lavagem de dinheiro. (Foto: Fernando Antunes)

Batizada de Fazendas da Lama, a nova etapa, que prendeu 15 pessoas, resultou no bloqueio de R$ 43 milhões. O montante foi bloqueado de 24 investigados. Na lista de bens bloqueados estão imóveis rurais e urbanos, veículos, dinheiro e dois aviões. Uma aeronave pertence a João Alberto Krampe Amorim dos Santos (dono da Proteco Construções Ltda) e a segunda está em nome do empresário João Baird.
De acordo com o delegado regional de combate ao crime organizado da Polícia Federal, Cleo Mazzotti, essa nova etapa foi focada na lavagem do dinheiro, ou seja, qual o destino dos valores desviados. “As buscas de hoje foram muito produtivas. O material apreendido comprova o que a investigação vinha dizendo”, afirma o delegado. Hoje, foram apreendidos 10 mil dólares, além de reais, documentos e computadores. Não foi informado o local da apreensão dos dólares.
Conforme o chefe da CGU (Controladoria-Geral da União), José Paulo Barbiere, o valor de R$ 44 milhões em desvio é resultante da soma das duas fases: R$ 11 milhões na etapa de 9 de julho de 2015 e R$ 33 milhões nesta segunda etapa. Segundo ele, foram feitas amostras em contratos de R$ 2 bilhões. Só de um total de R$ 195 milhões analisados, a suspeita é do desvio de R$ 44 milhões. “É um índice de 23% a 25% de prejuízo em cada obra”, afirma Barbiere.

Blog A Língua! News: Era sabido em Campo Grande que PuTanella cobrava em torno de 20% dos empresários cupinchas dele. Os contratos já incluiam a "propina gorda." Quem ficava no prejuízo era quem não fazia parte da SOCIATÁTCHHHI BISKÁTCHHHI TCHI CÃMPU CRÂNTCHHHHI, como expressam a gente nojenta, caipira, que e acha "IMPÔÔIRTÃNTCHHH" de Campo Grande que vive escravizando sem avisar, através de contratação fraudulenta no setor público, a sociedade honesta da cidade que nunca crescerá porque o progresso é proibido para essa gente.
MÁFIA SEM FRONTEIRAS! 
De asfalto a livro - Dentro dos R$ 33 milhões com suspeita de desvio, estão contratos para manutenção de estradas pavimentadas e não pavimentadas na região de Campo Grande; dois lotes na MS-040 (que teve recurso do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social); e compra de livros didáticos. No caso dos livros, os contratos eram de R$ 29 milhões, com desvio de R$ 13 milhões. A vigência foi entre 2012 e 2014.
Nas obras de pavimentação, a estratégia para o superfaturamento era direcionar a licitação por meio de cláusulas restritivas.
Delegado da Receita Federal identificou empresas recém-criadas e com alto lucro. (Foto: Fernando Anrunes)Delegado da Receita Federal identificou empresas recém-criadas e com alto lucro. (Foto: Fernando Anrunes)

O representante da CGU destacou o crescimento da operação. No ano passado, foram 13 agentes da CGU e 100 policiais federais. Nesta terça-feira, o total saltou para 28 pessoas da CGU, 44 da Receita Federal e 201 policiais federais.
Já a Receita Federal identificou empresas recém-criadas e com alto lucro. Segundo o delegado Flávio Barros Cunha, foi verificada a movimentação financeira, doações de empresas, contrato de locação de máquinas e empresas de pequeno porte com movimentação financeira menor do que a declarada.
De acordo com  chefe da CGU, contratos com desvio ia de pavimentação a livros. (Foto: Fernando Antunes)
De acordo com chefe da CGU, contratos com desvio ia de pavimentação a livros. (Foto: Fernando Antunes)

A operação cumpriu mandado de busca no apartamento do ex-governado André Puccinelli(PMDB) e fechou a Seinfra (Secretaria Estadual de Infraestrutura) na manhã desta terça-feira. Os mandados são cumpridos em Campo Grande, Rio Negro, Curitiba (PR), Maringá (PR) Presidente Prudente (SP) e Tanabi (SP).

Casal Edson e Rachel Giroto está na lista de presos. Na foto, eles aparecem na eleição de 2012. Casal Edson e Rachel Giroto está na lista de presos. Na foto, eles aparecem na eleição de 2012.

Presos – A prisão é temporária, com validade de cinco dias. A superintendência da PF não tem capacidade para abrigar os presos, que serão distribuídos para o sistema penitenciário estadual.
Veja a lista: João Alberto Krampe Amorim dos Santos (dono da Proteco Construções Ltda), Elza Cristina Araújo dos Santos (secretária e sócia de Amorim), Renata Amorim Agnoletto (filha de João Amorim), Ana Paula Amorim Dolzan (filha de João Amorim), Ana Lúcia Amorim (filha de João Amorim), Edson Giroto (ex-secretário estadual de Obras e ex-deputado federal);
Além de Rachel Rosa de Jesus Portela Giroto (esposa do ex-secretário), Wilson Roberto Mariano de Oliveira - Beto Mariano (servidor), Mariane Mariano de Oliveira (filha de Wilson Mariano), Ana Cristina Pereira da Silva, André Luiz Cance (ex-secretário adjunto da Secretaria Estadual de Fazenda), Flávio Henrique Garcia (empresário), Evaldo Furrer Matos, Maria Vilma Casanova e Hélio Yudi Komiyama (servidor).

Nenhum comentário:

Postar um comentário